jul.08

Por que o setor da industria deve investir em TI?

A importância da Tecnologia da informação

A importância da industria investir em ti pode ser claramente identificada por seu efeito direto na atividade econômica, que pode ser representado pelo crescimento constante da participação das empresas de TI na produção nacional.

Embora a análise desse efeito direto da TI seja importante, há relevância na análise de seus efeitos indiretos na economia, ao se enfocar seus impactos no desempenho das organizações que a absorvem.

Ao se estabelecer que as empresas absorvem a TI por meio dos investimentos em tecnologia da informação, pode-se situar essa análise de efeitos indiretos no âmbito da análise microeconômica.

Nesse caso, o foco da análise econômica situa-se na mensuração do retorno dos ITI, operados por cada empresa ou grupo de empresas, sendo esses investimentos aqui definidos como gastos em hardware e seus aplicativos, software e seus recursos, sistemas de telecomunicações, gestão de dados e informações que possibilitam às empresas aumentar a velocidade da geração, difusão e uso dos novos conhecimentos necessários a sua integração às constantes mutações no mercado.

Essa integração refere-se à aquisição da informação necessária ao gerenciamento das mudanças, adaptações e atualizações da tecnologia de produção e de serviços, bem como à gestão de sua participação na cadeia econômica, pela otimização da aquisição de seus insumos e da distribuição de seus produtos e serviços.

Sob essa ótica, o relacionamento do alcance dos objetivos globais das estratégias competitivas empresariais com o volume de investimentos em tecnologia da informação parece guardar uma relação lógica de causa e efeito.

No entanto, é necessário analisar com maior profundidade essa questão e procurar identificar a existência de um ponto de saturação, a partir do qual os acréscimos nos ITI apresentam um decréscimo em seus retornos.

Devido às suas especificidades e ao seu valor estratégico, a análise do retorno dos ITI demanda o desenvolvimento de novas ferramentas de avaliação, que devem ser condicionadas pelas características do setor de atuação das organizações estudadas, e cumpre considerar questões como a intensidade do uso de mão-de-obra qualificada e os investimentos em pesquisa e desenvolvimento [P&D].

O esgotamento do modelo de produção

O aumento dos investimentos em tecnologia da informação foi uma resposta ao esgotamento do modelo de produção que vigorou até o final da Segunda Guerra Mundial.

Os vários sinais de exaustão identificados na época, como desaceleração do crescimento da produtividade, rejeição dos trabalhadores ao autoritarismo patronal, rigidez das linhas de produção, incapacidade de reduzir os custos de produção, encarecimento das matérias-primas e das fontes energéticas, foram agravados quando o mercado passou a ser regido pela demanda e não mais pela oferta.

Influência dos elementos de ti na produção

O estudo da influência exercida pela variabilidade dos elementos de TI na produção das empresas é uma questão fundamental para o alcance do objetivo deste trabalho, visto que, nos últimos sete anos, houve novos fatores que influenciaram o montante de investimentos em tecnologia da informação operado pelas empresas brasileiras.

Do ponto de vista das empresas em geral, durante esse período houve uma exigência generalizada do incremento das práticas de governança corporativa devido ao desdobramento de uma crise fiduciária global ocasionada pelos escândalos de fraudes contábeis de megacorporações americanas e europeias.

No Brasil, essa onda internacional tem ocasionado maior demanda por investimentos em tecnologia da informação, porquanto os órgãos de controle e o mercado de capitais têm exigido que as empresas nacionais cumprissem com novos padrões de transparência da gestão.

Do ponto de vista do setor financeiro, as novas medidas de minimização do risco do setor financeiro internacional estabelecido a partir dos Acordos de Basiléia têm impulsionado os bancos a investir ainda mais em tecnologia da informação.

 

Indústria 4.0 e TI

A chamada indústria inteligente possui eficiência dos recursos, tem alta capacidade de adaptação e busca que todos os envolvidos nos processos de criação de valor estejam conectados. A ideia é que as etapas de produção sejam cada vez mais autônomas, produtivas e eficientes. Para isso, a Indústria 4.0 utiliza de uma base tecnológica robusta.

Pense na Gestão de Processos, por exemplo. Muito antes de termos o “boom” do conceito de Indústria 4.0 softwares de BPM já eram desenvolvidos para otimizar processos de negócios, reduzir custos e maximizar a produtividade. Imaginando ainda o funcionamento de uma empresa: para que ela opere de modo ágil é preciso que suas áreas sejam alinhadas e comuniquem-se entre si. A área de Tecnologia da Informação sabe disso e busca esse objetivo por meio de mais variados softwares (ERP, BPM, ECM, PLM, EQM e por aí vai) e de uma infraestrutura segura de TI.

Consultoria